Mensagem a Marija Pavlovic em 25 de Fevereiro de 2022
Queridos filhos! Estou convosco e rezemos juntos. Filhos meus, ajudai-me com a oração para que Satanás não prevaleça. O seu poder de morte, ódio e medo visitou a terra, portanto meus filhos voltai a Deus e à oração, ao jejum e à renúncia, por todos os que são oprimidos, são pobres e não têm voz neste mundo sem Deus. Meus filhos, se não regressardes a Deus e aos seus Mandamentos não tendes futuro. Por isso Ele enviou-me a vós para guiar-vos. Obrigada por atenderdes ao meu chamamento!

Tradução do audio do telefonema entre Marija Pavlovic e Padre Livio da Radio Maria em Medjugorje para entrevista sobre a mensagem de 25 de Fevereiro de 2022.

Livio:

Caros amigos, temos Marija de Medjugorje ao vivo que comunicará a mensagem da Rainha da Paz hoje, 25 de Fevereiro de 2022.

Lívio:

Boa tarde Marija!

Marija:

Boa tarde, padre Lívio! Uma cordial saudação a todos os ouvintes da Rádio Maria. Hoje, como todos dias 25 do mês, a Virgem deu-nos a seguinte mensagem:

“Queridos filhos! ………”

Lívio:

Marija, esta é a mensagem mais séria que Nossa Senhora deu-nos até agora.

Marija:

Sim, é uma mensagem muito séria porque nos envolve a todos. Nossa Senhora diz para rezarmos com ela porque quer ajudar-nos e guiar-nos. Espero que a presença de Nossa Senhora nestes quarenta anos seja um sinal de paz, um sinal de triunfo para a Rainha da Paz neste mundo onde há ódio e morte porque Satanás visitou a Terra, como Ela diz. Nestes dias rezamos por tantas pessoas que nos foram confiadas, especialmente pelas pessoas da Ucrânia que vieram cá pelo Natal. Recordo-me que um Bispo pediu-me para pedir a Nossa Senhora pela Ucrânia durante a aparição. Ela rezou na frente dele em aramaico que eu não entendi, mas sei que quando a Virgem reza em aramaico, é porque não quer que se saiba o que diz, é um segredo que não pode revelar, fá-lo de coração a coração. Assim pois, rezou por aquele Bispo e certamente por toda a população da Ucrânia. Rezemos pois, agora que nos aproximamos da Quaresma, que é tempo de renúncias, aproveitando para que seja um tempo de renovação para nós com oração, jejum e pequenos sacrifícios como disse Nossa Senhora. Tivemos a experiência da guerra nos Balcãs e Nossa Senhora já nos tinha dito que com jejum e oração as guerras podem ser detidas. Quero dizer que devemos aumentar as nossas orações por todos eles, porque agora eles têm o poder do diabo sobre eles, que é muito forte. Mas isto também pode acontecer connosco, nas nossas famílias, tirando a serenidade e a paz dos nossos corações. O diabo facilmente toma os nossos corações e usa-nos e não devemos permiti-lo. O diabo usa-nos para o mal, para a morte. Em contrapartida, Deus usa-nos para o bem, para a santidade, para que sejamos um só corpo. Nossa Senhora sempre pediu-nos para rezar por aqueles que estão longe, por quem não acredita e se uma parte do corpo sofre, todo o corpo sofre. Por isso, agora o meu sofrimento é o sofrimento de todo o povo da Ucrânia e do mundo inteiro. Também pelos Russos que são seus irmãos, são as mesmas pessoas e a mesma fé. Isso deixa-me muito triste porque todos nós temos um Deus e continuamos a lutar uns contra os outros. Esta é a maior tragédia! O diabo usa as pessoas para fazer esta maldita guerra acontecer. Por isso repito, rezemos muito para que o ódio não prevaleça.

Livio:

Nestes anos, vi em diferentes ocasiões, especialmente no Natal passado, aquele povo ucraniano que, aqui em Medjugorje, subia as colinas rezando descalços com muita serenidade. Com essa coragem e essa fé tão grande, creio que Nossa Senhora os ajudará.

Marija:

Padre Lívio, lembro-me de uma experiência que me impressionou muito e que sempre recordarei. Certa vez, chegou um autocarro com pessoas que vinham rezar pela unidade dos cristãos. Eram ortodoxos e católicos juntos pedindo a mesma intenção. A metade do caminho, o autocarro incendiou-se e salvaram-se milagrosamente. Esperaram um dia e meio pela chegada de outro autocarro, perfazendo assim um total de cinco dias de viagem. Quando chegaram não tinham nada que vestir e eu com outros amigos Italianos que estavam cá, resolvemos doar algumas das nossas roupas, alguns dos nossos sapatos e preparamos sacos para oferecer-lhes. Uma senhora contou-nos que era a primeira vez que calçava sapatos de couro tão bonitos, porque usava sempre sapatos de borracha. Durante o incêndio no autocarro, os seus sapatos derreteram chegando a Medjugorje descalça. Há tanta gente pobre! Eu, fico tantas vezes com vergonha quando vêm aqui porque sinto-me rica, mas vejo também que eles na sua pobreza, são ricos porque têm Deus, têm oração e isso é a coisa mais linda. Estavam cheios de entusiasmo, prontos para se sacrificar durante a noite para escalar sempre em oração o monte Krizevac. Espero, como diz o padre Lívio, que o Senhor ouça a sua oração e lhes dê paz o mais rapidamente possível.

Livio:

Marija, esta mensagem tem novos trechos que encontro pela primeira vez. Por exemplo, quando diz que Satanás visitou a Terra com seu poder de ódio e medo. Qual é o significado desta expressão tão forte? É como dizer que se libertou das suas correntes. Parece, como Nossa Senhora disse na mensagem de 25 de Março de 2020, que Satanás reina.

Marija:

Sim, de facto Nossa Senhora diz que rezemos com Ela, que a ajudemos com a oração. Como o provérbio que diz: “A união faz a força”. Precisamente neste momento devemos estar unidos com Deus e com Nossa Senhora e pedir esta graça para que Satanás não prevaleça com o seu poder de morte, ódio e medo. Hoje em dia vemos mais e mais pessoas que se afastam de Deus e dos Seus Mandamentos. Jesus trouxe-nos paz e alegria. Ele continuamente convida-nos ao amor fraterno, diz-nos para amarmos os nossos inimigos e a rezar por eles. Então, vamos rezar agora, não apenas pelos que foram atacados, mas também pelos que atacam. Além disso, porque acho que certamente são poucos os que terão ido para aquela guerra convencidos. A guerra não é boa, não é próspera. A guerra só causa danos.

Lívio:

Marija, acho que também é a primeira vez que Nossa Senhora diz: “por todos os que são oprimidos”, esta palavra é a primeira vez que a usa. E acrescenta: “são pobres e não têm voz neste mundo sem Deus”. Em outras palavras, tem um olhar para este mundo sem Deus, onde há multidões de pessoas que, como diz o Papa Francisco, são rejeitadas e marginalizadas. Nós, por outro lado, às vezes nem percebemos, não temos um olhar claro para ver tudo isso.

Marija:

Nossa Senhora não se refere apenas à Ucrânia, mas ao mundo inteiro quando fala dos oprimidos e pobres que não têm voz neste mundo. Acredito que essas pessoas que estão agora sob bombardeamento não têm voz, porque querem as suas casas. Na verdade, muitos deles enviaram-me mensagens e eu gostaria de dizer para fugirem, mas eles têm as suas casas lá, essa é a terra deles e querem lá ficar, mas em paz. Lembro que quando aconteceu no nosso país, poucas pessoas de Medjugorje fugiram porque queriam ficar nas suas casas, preferiam morrer. Infelizmente, numa guerra não se respeita nem crianças, nem idosos, nem jovens, nem quem é amigo ou quem não é. Ou seja, dispara-se e quando as bombas caem não há distinção.

Livio:

Nossa Senhora usou muitas vezes esta expressão: “Estais a construir um mundo sem Deus”, o que significa? O que são os líderes internacionais que contam, ou o que é o mundo que se tornou ateu?

Marija:

Acho que é o poder em geral, porque o homem quer colocar-se no lugar de Deus e sente-se como tal. A vida também é bela porque ensina-nos que quando se envelhece deve-se pensar na preparação para a morte, mas as pessoas que não têm problemas, que não sofrem de doenças, já que a doença muitas vezes nos aproxima de Deus, não vivenciam isso, pensam que nunca vão morrer. Este é o problema! Deviamos fazer como um santo cujo nome não me lembro agora, mas que me contavam que debaixo da cama tinha um caixão para lembrar-se que a morte estava próxima. Também lembro que eram os beneditinos, os que costumavam bater à porta dos outros irmãos da congregação para dizer: “Lembra-te irmão que deves morrer”. A vida é um dom e devemos aproveitá-la para fazer o bem.

Livio:

Marija, agora eu quero fazer uma pergunta sobre algo que me deu muita alegria, como certamente deu a muitas outras pessoas. É o dia de jejum e oração que o Papa propôs para 2 de Março, Quarta-feira de Cinzas, início da Quaresma, e a invocação que o Papa fez à Rainha da Paz pedindo-lhe que nos preserve da loucura da guerra. Foi uma invocação que me tocou muito e acho que Nossa Senhora terá ficado muito feliz ao ouvir o Santo Padre dizer isso.

Marija:

Sim, precisamos de paz. Graças a Deus, o Santo Padre pediu a intercessão da Rainha da Paz. Então intensifiquemos a nossa oração agora que estaremos na Quaresma, tempo de renúncia, de jejum… Neste tempo de graça, somos convidados de uma forma muito especial por Nossa Senhora a viver este tempo intensamente com oração. Nossa Senhora disse ao nosso grupo de oração que este tempo deveria ser entendido como tal. Lembro-me das orações de Santa Brígida, da Via Sacra, do Rosário, de assistir à missa todos os dias e de fazer algo especial, que aliás, pouco a pouco se torna um costume e faz parte das nossas vidas. Isto, como Nossa Senhora diz, devemos fazer por todos aqueles que são oprimidos, pobres e não têm voz neste mundo.

Livio:

Devemos, portanto, fazer um caminho de conversão, de renúncia ao pecado, preparar a Páscoa com a confissão e sobretudo oração e jejum como nos primeros tempos como a Virgem disse uma vez: “Voltai ao fervor do início com a oração e o jejum”.

Marija:

Exactamente, e não apenas como nos primeiros tempos, mas devemos sempre tentar melhorar. Se dermos tempo a Deus, Ele dá-se ainda mais e torna-se um connosco, caminhando connosco. Acredito que este momento é uma oportunidade de retorno a Deus e aos seus Mandamentos como Nossa Senhora nos pede. A desordem é o caos. Deus deu-nos a ordem e se respeitarmos essa ordem, sentimos alegria nos nossos corações. Não acredito que haja quem guerreie com alegria, pois a morte e a destruição não produzem alegria.

Livio:

A Virgem adverte-nos em quase todas as mensagens, mas parece que ainda não o entendemos. Por isso diz-nos que se não voltarmos a Deus e aos Seus Mandamentos, não teremos futuro. O que isto significa?

Marija:

Nossa Senhora está connosco, como disse e agradecemos sempre a Deus por isso. Ela disse que Deus a enviou entre nós para guiar-nos e sempre repete-nos que sem Deus não temos futuro, não temos vida eterna. Por isto, as pessoas que têm ódio no coração não tem futuro, mas quem é construtor de paz e reza tem futuro porque Nossa Senhora está com eles. Por tudo isto, somos muito gratos ao bom Deus que nos enviou Nossa Senhora para guiar-nos nestes tempos difíceis.

Lívio:

Além disso, como disseste uma vez, a Virgem é a mulher que vem do futuro.

Marija:

Exactamente. Nossa Senhora não é apenas nossa mãe, nossa guia, nossa inspiradora, Ela é também a mãe que chora por cada um de nós e dá força a cada um de nós.

Lívio:

Marija, a mensagem de hoje faz-me pensar em como Nossa Senhora estava quando deu a mensagem.

Marija:

Nossa Senhora estava séria e eu também fiquei um pouco triste ao vê-La assim, mas depois, no meu coração, prevaleceu a esperança e a alegria, pois Nossa Senhora está connosco e não nos abandona nem nos abandonará.

Lívio:

Mas o final da mensagem é lindo, embora a tomemos como certa, a Virgem diz-nos como se fosse a primeira vez: “Obrigado por terdes respondido ao meu apelo”. Isso também é de grande encorajamento.

Marija:

Sim, é de grande animo e alegria e ao mesmo tempo é um convite. A Virgem disse que precisa de nós e sentimo-nos honrados em poder dizer que somos seus filhos. Sim, é verdade que somos pecadores como diz a canção, mas também somos seus filhos. Por isso quero convidar todos a abraçar a mensagem de Nossa Senhora, dobrar os joelhos e rezar para que o Senhor ouça a nossa oração pela paz, não apenas pela Ucrânia, mas para todas as partes do mundo onde há guerra.

Lívio:

Marija em verdade, o que mais me tocou nesta mensagem é Nossa Senhora dizer-nos que quer que estejamos com Ela. Primeiro diz-nos: “Eu estou convosco”, depois diz-nos: “Rezemos juntos”, e também diz-nos: “Ajudai-me com a oração”. Ou seja, envolve-nos a estar com Ela, não nos deixa sós e convida-nos a trabalhar com Ela. Achei belíssima a abertura da mensagem.

Marija:

Sim, é bonito. Esta é a graça que recebemos que, como diz Nossa Senhora, Deus permitiu-Lhe que esteja entre nós.

Lívio:

Obrigado Marija, vejo que também sofreste com esta mensagem, mas como bem dizes, no fim o importante é que Nossa Senhora esteja connosco. Sabemos que a força de Satanás é falsa, enquanto que a de Maria é uma omnipotência de amor e isso deve dar-nos confiança.

Marija:

Sim, sabemos que o mal existe mas não prevalecerá. Somos instrumentos e como tal, esperamos ser instrumentos de paz com as nossas orações, com as nossas acções e com as nossas vidas.

Livio:

Mais uma vez obrigado Marija por este belo testemunho. É verdade que vendo Nossa Senhora preocupada, nós também nos preocupamos e tu também te preocupaste mas no fim, a paz prevalece no coração.

Marija:

Sim, estamos preocupados porque quando uma parte do corpo sofre, todo o corpo sofre. Assim quando os irmãos sofrem, queremos dizer-lhes que estamos com eles e que rezamos por eles.

Lívio:

Sim Marija. E agora terminemos com a oração.

Audio completo da entrevista a Marija Pavlovic.