Ivan Dragicevic sobre a pandemiaÀs vezes os presentes não parecem bênçãos, mas podem se-lo. O mesmo acontece com este convidado não desejado, inesperado e intimidador … talvez seja uma maldição, talvez uma bênção.

O mundo permanece em silêncio por um momento, o gigante industrial está em silêncio, todas as pessoas são iguais novamente, grandes e pequenos tremem com o mesmo medo do desconhecido …

Dizem que finalmente é possível ver o céu sobre a Itália e que os italianos socializam, conhecendo-se e dando-se aos vizinhos, as paredes das varandas e as janelas de vidro já não são mais obstáculos. Não haverá mais silêncio nas divisões das casas e nos elevadores. Todo o mundo cristão está a rezar junto pelo mesmo. As famílias finalmente conhecem-se, compartilham entre si, socializam e rezam em voz alta, e de repente há muito tempo. O vírus também relativiza o tempo.

Porquê a pressa? Não vês o quão pequeno e indefeso és comparado com algo que é muito mais pequeno que tu? – O que fazes contigo mesmo enquanto os teus dias estão contados como os cabelos da tua cabeça?

Para e escuta o silêncio, volta às tuas raízes e reza a Deus. Tens um medo desesperado pelo teu corpo, mas e quanto à tua alma, como é que a estás a preparar?

Alguns presentes não nos parecem bênçãos, mas são … Abre os olhos para ver como uma pequena partícula desconhecida muda o teu mundo, e Alguém lá em cima que tudo vê o que achas que faz, ri-se?

Saudo a todos e com a mente no alto rezem a nosso Senhor Jesus Cristo.

Saudações e unidos na oração!

Ivan Dragicevic

Fim da aparição mensal do dia dois em Medjugorje

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *